fevereiro 21, 2006

the boy who was followed home

Este livro tem muitos anos nas minhas mãos... mais do que isso, tem muitos anos nos meus olhos e na minha cabeça. Reli-o hoje e o admirável é que continua a produzir em mim um efeito forte, não pela nostalgia do tempo que passou, mas porque, deveras, consegue agarrar a si crianças muito pequenas e depois continuar a interessar todas as idades em que for lido, mesmo umas décadas depois.
Percebi com ele a literatura como um lugar possível para outras lógicas. Fiquei absolutamente presa ao nonsense e à estranheza que ora me aproximavam ora me distanciavam, como um baloiço hipnótico de onde não conseguia ( nem queria ) sair. A ilustração tem um papel fundamental neste jogo, pela técnica esbatida, pelos pontos de vista. A relação texto-imagem é indissociável para que a história aconteça. Brilhante!
Fui à livraria. Foi re-editado pelos Livros Horizonte, uma editora exemplar na selecção de títulos para crianças. Só queria que o outro livro ilustrado pelo Steven Kellogg que a Helena me mostrou também o fosse, porque esse nunca foi meu e é também um livro sem prazo de validade. Lá dentro tem uma jibóia.

18 comentários :

Nekynho disse...

Esse foi um dos primeiros livros que me ofereceram, quando eu era mais pequenino :o)
Buongiorno :o)

greentea disse...

eu tb não sei porque consigo copiar os ficheiros normalmente e postá-los no blog mas depois não abrem e já vi o mesmo problema noutro blog. Tenho imensa pena!!!
Um bom dia para ti - gosto de vir até aqui...

natalina disse...

Gosto de te ler...bjks Natalina.www.pintarriscos.comwww

Folha de Chá disse...

Ainda não li este livro. Mas fiquei com vontade de o fazer.

125_azul disse...

Que todo o pó, em forma de beijos que anda à solta, caia sobre o seu coração. E que venha muita, muita mais inspiração para nos encantar sempre que aqui viermos espreitar.
beijo dulce, para noite felice

ASchnoor disse...

Fiquei tão interessada neste livro!
Conheces coisa melhor e mais importante que livros infantis?
Será que o encontro aqui no Rio de Janeiro? Vou procurar...
Este teu espaço é tão sereno! Sinto-me em paz quando entro aqui.
É muito bom, obrigada.
Angela

dora disse...

obrigada a ti pela presença. Diz-me se encontrares o livro por aí, sim?

piero disse...

hola dorab
i think i have seen your face in a book of beatrice alemagna! ;) sweet blog!

dora disse...

Gosto mesmo muito do trabalho da Beatrice Alemagna. Obrigada pela tua visita

Inês Rosa disse...

Este post deu-me uma enorme vontade de chorar...
Tive esse livro, mas, não sei como, desapareceu. Adorava-o, foi um dos livros que li e reli em pequena. Chorei no dia em que percebi que já não o tinha.
Foi maravilhoso encontrá-lo no coração de outra pessoa, mas muito triste ao mesmo tempo.
Se, por acaso, o vires à venda, diz qualquer coisa, por favor.
Bigada*

dora disse...

Eu sei do que falas em relação a este livro... bom lê-lo assim em ti... É um livro que gera cumplicidades entre aqueles que o alguma vez o descobriram, sobretudo se, maravilhosamente, isso aconteceu em criança.
A boa notícia é que o livro foi re-editado; tenho-o visto em várias livrarias em Lisboa por onde tenho passado.

abraço

Siddhichandra disse...

Fiquei curioso! Tive pena de não ter lido em criança. Mas ainda vou a tempo! Afinal todos me chamam infantil...e tenho orgulho nisso.

Beijo e gosto muito de tomar café neste balcão!

rosa disse...

o (também) meu querido rapaz dos hipopótamos! O outro de que falas é o "Busca Leão Busca"?

beijinhos!

Manuela Duarte disse...

Uma Gibóia de Estimação. Boa ideia para uma reedição!
Querida Dora, li mesmo agora este post e corro a responder-lhe para lhe agradecer as palavras que dedica à minha editora. Só mais uma coisa: sabia que foi com a reedição deste livro, em 1997, mas cujo processo já vinha de 1995, que a colecção infantil "ganhou asas"? Foi neste livro que tudo começou, para mim.
Um grande beijinho da
Manuela Duarte(Livros Horizonte)

greensoul disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
greensoul disse...

Imaginação...Hipopótamos, Girafas...um universo do maravilhoso!Julgo que é uma das características desta história.Uma viagem por um mundo cheio de animais que não nos são conterrâneos mas que,devido a histórias como esta, à televisão, ao bem saudoso Jardim Zoológico, os transportam para o nosso imaginário. Qual de nós/criança que não sonhou com animais exóticos?Qual de nós não desejou uma amizade, uma aventura ao lado destes animais???
Pois, é graças a livros como este que ainda nos é possivel sonhar...partir de uma imagem para uma realidade sonhada!Bem hajam os autores, os editores, as Doras e as Helenas que por aí voam...

dora disse...

:)

Helena disse...

:)