abril 06, 2006

ser assim










Quando me tornar planta, serei assim: límpida, quase vento, silenciosamente inundada de céu.

9 comentários :

helena disse...

É claro!
Exactamente assim!
Não tenho nenhuma dúvida.
1 grande beijinho

Kaia disse...

sabes... fiquei a pensar com os meu botoes quando a linha caiu... sim, as maes do coracao, porque sao escolhidas, ficam sempre e para sempre maes do coracao.Mas as irmas do coracao, ha ? Eu nao te escolhi, tu nao me escolheste...Assim calhamos uma com a outra. E queres ca apostar que se tivessemos tido escolha tinhamos acabado uma com a outra na mesma ? Ha coisas na vida que nao importa o que fazemos ou pensamos estao escrita que se vao cruzar connosco mais cedo ou mais tarde... Gosto muito de ti mana ! Xis

Alexª disse...

Olha que bela metamorfose. Sempre a entendi como algo de intenso e dramático e afinal... pode ser muito poética, ainda bem!

:))))

Calais Pedro Family disse...

Bonita como sempre, Dora Lua!
Uma petala para ti ca das Americas a florirem de mansinho...
a Joao

UrsaM disse...

Dora, só te conheço pelo blog mas por tudo o que postas e que vem de ti é exatamente assim que te percebo.
Só nos tornamos o que já somos em potencial. Então... já és uma flor como esta, linda!

carinho, Angela

Folha de Chá disse...

Silenciosamente a agarrar os nossos sorrisos, quando te visitamos. :) Obrigada.

mariannegreen disse...

Nós fazemos parte de um ciclo..."quando me torna planta...".
Um post que me deixou a pensar.

Marianne

planaltobie disse...

Bonita síntese!
Quando morrer, tornar-me-ei numa leve brisa que tocará de mansinho nas pétalas de uma flôr

katraponga disse...

Gostei da surpresa das tuas palavras, e imagens, inundadas de céu...

Voltarei.