março 16, 2007

que bem me calhou ler este texto hoje !




"Isso de não fazer nada existe? Quando estás a praticar o nada, o que estás a fazer? Um ser humano existe sem preguiça? Quando não nos apetece fazer nada, será porque nos apetece fazer tudo? Ou outra coisa? O trabalho liberta? E a preguiça? Prende?
Quando somos crianças, a preguiça acaba quando nos espreguiçamos e só regressa quando estamos exaustos da brincadeira. Quando somos adultos, a preguiça envergonha-se perante o trabalho que se avoluma e ninguém admite que a sente..."
texto de apresentação de A Preguiça Ataca, espectáculo de Aldara Bizarro ( com estreia marcada no ccb de 5 a 13 de Maio ); il. Sara Fanelli.

10 comentários :

inês leal, 31 anos à volta do sol disse...

pois eu cá admito que sinto muiiiita preguiça... :)

Azófar disse...

Perante algumas tarefas sinto uma preguiça enorme... às vezes no trabalho desejo estar longe, algures no deserto, longe do computador e esquecido do email.

rosa l. disse...

Eu espreguiço-me por aqui...

magarça disse...

Preguiçar é um dos melhores prazeres da vida. Melhor ainda se for ao sol...

dlm disse...

interessante

pedroludgero disse...

Que a preguiça continue maldita.

(Ou vamos acabar com blogues sobre a preguiça, mestrados sobre a preguiça, ministérios)

intruso disse...

genial!
(tenho que ver, em Maio)

hoje preguiçei...

pozinhos... disse...

Eu admito que de vez em quando sinto preguiça e que também me espreguiço e sabe tão bem fazer nada e muitas das vezes resulta em momentos realmente criativos :)

UrsaM disse...

De braços abertos... um bocejo e um olá espreguiçado!

A Preguiça Ataca? disse...

http://apreguicaataca.blogspot.com/