março 04, 2007

dido & aeneas ( ou sasha waltz )


Em Lisboa, 2 dias no início de Março, um bailado+uma ópera+uma história agida por 30 homens-e-mulheres-deuses. Feita de corpo ( mãos, pernas, braços, abraços, voz, cabelos ) e da água aonde se volta para nascer outra vez. feita de ar, sempre, e de céu onde o peso de dois é o equílibrio e o voo. feita do fundo e de raizes que mandam nas tempestades e fazem as vontades. feita do fogo que se acende, mas que é só luz para que a vida possa continuar depois... depois.
Foi tudo, muito, e muito breve para tanto. Acrescente-se leveza como a palavra que nesse depois nos transtorna: com ela torna-se perfeito demais. Para rever ou evocar, espreitar um bocadinho aqui.

2 comentários :

ana ventura disse...

que pena não ter ido. O teu texto está tão bonito.

isabel disse...

a magia é imensa... queria só deixar um sopro de ar com um segredo: a minha voz também vai voar em lisboa. nao será tão embriagante como esta valsa de vida e re-vida, mas acontecerá no dia 1 de abril, à noite, nos jerónimos. 31 de março é o ensaio geral. se te apetecer ouvir, não é preciso fazeres-te anunciar... o som, tal como o ar, existe para quem o respir-ar. (já nasceram 4 das 7 sementes que mergulhei no fundo de uma terra escura e pequenina e que um dia chegaram do sul, num cavalo de ferro, para me verem sorrir). até...