março 06, 2006

Xavier



O Xavier tem três anos mas parece ter mais: para além de fisicamente crescido, tem aquela autonomia e segurança que muitos adultos nunca encontrarão. Escolhe cores vivas e usa a página inteira com um traço firme, grosso, bem inscrito . Tinha já decidido parar de desenhar para brincar a envolver uma pequena caixa de cartão com uma serpentina. De repente, avisa que está a pensar numa história de elefantes.
- Pode ser que caibam na caixa, o que achas? - perguntei eu.
Não ficou muito convencido, mas foi testar no papel. Assim nasceram: primeiro, o pai elefante à direita seguido da mãe, comprida e elegante, e depois o filhinho, no meio.
- E cá em baixo?
- Aqui é o brinquedo do filho.
E depois disse-me:
- Sabes o que é que o papá faz? O papá faz as brincadeiras... e a mamã ralha. Ah, e só o filho é que cabe na caixa.

Gostei muito de conhecer o Xavier. Estava vestido de um cor de laranja feliz.

6 comentários :

margarida disse...

É tão bom estar com inventores de elefantes, mágicos que deitam fogo da cabeça, peixes que usam lanternas mágicas e...é tão bom partilhar estas pequenas grandes coisas contigo...sempre aos domingos como a Maria

125_azul disse...

O Xavier pode vestir-se de cor de laranja e ser feliz, que bom. Só por hoje vou esquecer a necessidade de me preocupar tanto com os meninos que não podem vestir-se de cor de laranja. E vou desejar que todos os meninos e meninas, grandes e pequeninos amanhã vistam cor de laranja feliz. beijinho

greentea disse...

gosto de saber que o xavier se veste de cor de laranja e é feliz, como mostram os desenhos...com u m bom desenvolvimento.
ach q vais gostar de ir espreitar-me.
bjs para ti

Kundumãe disse...

Que interessante... já vistes o post de hoje do bichokundum?
Será que o Xavier é da turma da Fábia?
Ela também gosta de vestir cor de laranja feliz!
Gostei do Xavier e de seus elefantes.

Folha de Chá disse...

Também gosto de o conhecer. Obrigada por partilhares a sua história. :)

greensoul disse...

Palavras para quê???Várias aprendizagens podemos tirar desta história...Sejamos como as crianças: imaginativas, puras, cruéis, maravilhosas, e tantas outras coisas...Sejamos como os adultos: ponderados, dialogantes, capazes de falar fluentemente...Agora, sejamos crança-adulta para com o melhor de cada um dos lados conseguirmos ser melhores...